quinta-feira, 25 de setembro de 2014

real Disney


Olá!
Hoje decidi trazer-vos algo um pouco diferente. 
Como é comum na minha geração, tenho uma grande ligação com a Disney e com os filmes que de lá saem, sendo que já os vi várias vezes. Neste caso refiro-me aos filmes de animação mais antigos, como a Cinderela, a Bela e o Monstro, a Pequena Sereia, etc. 
Então e o que seria se a vida destas princesas, de quem toda a gente gosta, se passasse na vida real? A sua história teria continuado de que forma? É a estas questões que a fotógrafa Dina Goldstein dá resposta através do projecto Fallen Princessese é o que vos venho mostrar hoje aqui. 
Como sabem, os filmes da Disney têm o seu "e foram felizes para sempre" mas nestas fotografias a artista mostra-nos o que aconteceria depois desse final e, em alguns casos, o que seria da vida destas princesas se nunca o tivessem alcançado, tendo em conta os valores da nossa sociedade bem como os problemas que nos rodeiam. 
As "princesas" fotografadas são reconhecidas através da sua vestimenta característica do mundo Disney mas estão inseridas em áreas e locais bem diferentes daquilo a que nos habituámos a ver.

Ora vejam:

Comecemos pela Jasmine. Apesar de ter o seu adorado Aladdin  não tem descanso pois a guerra no médio oriente significa que ela tem que lutar pela sobrevivência e é dessa forma que ela é representada.
Dina Goldstein. 

terça-feira, 23 de setembro de 2014

macro moi #1


Olá!
Como prometido ficam aqui algumas fotos da minha experiência com uma lente macro, emprestada pelo meu pai. Espero que gostem. É tudo em Arouca.


segunda-feira, 22 de setembro de 2014

vai um prato de massa?


Olá!
Hoje venho mostrar-vos mais uma receita super fácil de fazer: massa com frango e ananás.

Vão precisar de (para 4 pessoas):
  • 1kg de massa tricolor;
  • quatro peitos de frango:
  • um ananás/uma lata de ananás;
  • sal q.b.;
  • pimenta q.b.;
  • molho de soja;
  • uma cebola pequena;
  • dois dentes de alho;
  • azeite.
Os passos a seguir são muito simples: comecem por cortar os peitos de frango em cubinhos. Cortem a cebola e o alho (eu nunca corto em pedaços muito pequenos porque gosto de ir roubando cebola do tacho enquanto vou cozinhando). Levem um tacho com azeite ao lume e juntem a cebola e o alho. Levem também uma panela com água ao lume e temperem como costumam para quando fazem massa. 




sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Amsterdam | Bloemen


Olá!
Espero que não tenham achado que acabava estes diários da minha ida a Amesterdão sem mostrar pelo menos uma fotografia com flores! 
Quero imenso lá voltar na altura da Primavera para ver tudo ainda mais florido! Os campos de tulipas devem ser maravilhosos, bem como a vista do avião.

Bem, aqui estão elas!




quinta-feira, 18 de setembro de 2014

flying around


Durante a semana que estive em Arouca andei um pouco obcecada com o conseguir tirar fotos a borboletas. Devo dizer que consegui tirar a algumas, mas houve outras que me deixaram um pouco frustrada porque eram super bonitas ou daquelas grandes mas ou estavam longe e eu não tinha como lá chegar ou não paravam quietas um só segundo. 
Para além destas fotos que mostro aqui ainda tenho mais algumas que vou mostrar noutro post porque foram tiradas com uma lente diferente e não quero misturar.
Espero que gostem. :D



quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Amsterdam | dag zes | Maandag


Olá!
Bem, neste último dia por Amesterdão não fizemos assim muita coisa, porque foi o dia em que fomos embora e não nos podíamos afastar muito do hotel, até porque o nosso IAmsterdamCard já não estava em vigor e por isso já teríamos de pagar pelo uso dos transportes, que não são assim tão baratos.

Começamos por ir ao Albertcuypmarkt, um mercado de rua gigante, cujo nome era o de um pintor holandês do século XVII. Todas as bancas do mercado são como que uma extensão das lojas que existem na rua. Encontrámos coisas maravilhosas a preços maravilhosos. Por exemplo, um conjunto de 30 girbérias custa 2€, uma pechincha tendo em consideração o preço que se paga pelas flores em Portugal. 

A seguir não sabíamos muito bem o que fazer, até que encontrei um cartaz sobre o Hard Rock e então foi o que decidimos fazer, depois de um senhor extremamente simpático, aliás como são todos os holandeses, pelo menos aqueles com que me cruzei e com quem falei, nos ter indicado o caminho. Primeiro fui ver a loja para ver os preços das famosas t-shirts, visto que já tenho uma de Barcelona e outra de Londres e visto que o meu grande sonho sempre foi ir a Amesterdão tinha de comprar uma. Não comprei logo porque achei um pouco caro. Fomos espreitar o restaurante para ver que relíquias guardava e acabamos por ficar lá para almoçar...ai, aqueles hamburgueres maravilhosos! O pessoal era extremamente simpático, sabiam as coisas básicas de Portugal e um deles até sabia algumas palavras! A música era, obviamente, excelente, e eles andavam para lá para trás e para a frente a cantar! Depois da bela refeição decidi definitivamente comprar a t-shirt, tal como já mostrei no meu post sobre as souvenirs que trouxe aqui.

Depois ficámos mesmo sem saber o que fazer. Decidimos voltar para o hotel e esperar a ida para o aeroporto. Fizemos uma caminhada muito longa, direito a imensas fotografias, sobretudo pelos lados dos museus, uma das áreas mais centrais de Amesterdão, de modo a absorver tudo uma última vez. 

Pelo Albertcuypmarkt.

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Peixe com pão ralado e molho


Olá!
Hoje venho partilhar convosco mais uma receita e que, por acaso, também me foi ensinada com o mesmo amigo que me ensinou a das bolachas! Tenho bons amigos, an?

Peixe com pão ralado e molho de manteiga e molho inglês. Vamos lá começar!

Vão precisar de:
  • peixe, postas de pescada, filetes, etc., em quantidade suficiente para ficarem saciados. Desta vez fiz 8 medalhões de pescada, dando dois para cada um, mas costumo fazer só seis;
  • manteiga;
  • molho inglês;
  • pão ralado;
  • salsa q.b.;
  • sal q.b.;
  • pimenta q.b.
Comecem por derreter manteiga, vejam mais-ou-menos a quantidade que precisam dependendo do tamanho do pirex que vão utilizar, e espalhem-na pelo suporte escolhido. Temperem com sal e pimenta e coloquem o peixe.


domingo, 7 de setembro de 2014

Amsterdam | dag vijf | Zondag


Olá!
Então, como prometido, aqui estão as fotografias do meu penúltimo dia em Amesterdão. 
Foi um dia menos preenchido do que os outros, sendo que tivemos algum tempo para descansar no hotel antes de jantar.

- Museum van Loon  - 

A primeira paragem foi o Museum Van Loon, uma residência privada construída no ano de 1672, sendo que o seu primeiro residente foi o pintor Ferdinand Bol, um estudante de Rembrandt. Mais tarde, no ano de 1884 como presente de casamento de Hendrik  ao seu filho Willem, pertenceu à família van Loon, a co-responsável pela criação da Dutch East-India Company, co-fundada em 1602 por Willem Van Loon, relacionada com o mercado marítimo. Até aos dias de hoje pertence a essa mesma família mas serve como museu e não como habitação, tendo sido a própria família a fundar este espaço museológico, sendo que todos os objectos, que remontam a vários séculos, gerações e estilos, faziam já parte desta casa. Composta também por jardim e pela "coach house", ou seja a cocheira, que tanto pode era acessível a partir do jardim como da rua. 
Este museu faz também parte do grupo dos locais que podemos visitar caso tenhamos adquirido o IAmsterdamCard.


quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Amsterdam | dag vier | Zaterdag


Olá!
Hoje vou, então, falar-vos do meu quarto dia em Amesterdão.
Este dia foi o único em que andamos de autocarro. É super divertido mas muito confuso por se ter de passar o cartão dos transportes tanto quando entramos como quando saímos, e o mesmo acontece no tram.


- Het Scheepvaartmuseum -

Começámos por ir ao Het Scheepvaartmuseum, o museu da marinha de Amesterdão, para fazer as delícias do meu pai. Do autocarro até lá ainda fizemos uma caminha de cerca 45 minutos o que foi óptimo para conhecer as redondezas, já que este foi um dos locais mais afastados. Também não pagámos porque é um dos museus que o IAmsterdamCard engloba.
O museu tinha várias alas e que agradavam a todos. Colecções de loiça, objectos de prata, estátuas de barcos, fotografias, mapas, livros, etc. Uma sala dedicada às baleias onde havia parte de uma para entrarmos, vermos através do olho dela e vermos e ouvirmos o coração. Uma sala com conchas e espécies de anémonas e onde, por trás de umas cortinas, se contavam histórias sobre sereias para os mais novos. Uma sala gigante com quadros todos dedicados ao tema marítimo desde os tempos mais antigos até aos mais recentes. É possível ficar a conhecer muito bem a história naval holandesa com estas tão diversas formas.


segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Lush lush (+ truque)


Olá!

De há uns meses para cá comecei a comprar produtos da Lush, especialmente as bath bombs, muito por influência das youtubers britânicas. A primeira, em forma de boneco de neve devido ao Natal, foi-me comprada por uma prima para aproveitar os saldos, havia ainda a Lush em Braga. 
Desde a primeira utilização que percebi que era um pouco desperdício utilizá-la apenas uma vez, embora não tenha sido assim tão cara por estar nos ditos saldos, mas mesmo assim. Então parti-a em três bocados.
A partir daí já comprei mais algumas, principalmente porque acabei a minha licenciatura em Lisboa e agora só posso comprar quando lá for ou encomendar pelo site o que não gosto muito de fazer porque quero sempre produtos diferentes e assim não sei se cheiram bem. Nunca compro aquelas que custam mais de 5€, mas pode ser que um dia o faça.
Neste post pretendo mais dar-vos uma dica em relação às bath bombs e aos produtos que criam espuma no banho (que é o que aparece nas imagens).
Quando cortei o boneco de neve reservei-o no saco de papel onde eles são colocados na loja e quando o utilizei pela segunda vez percebi que já não deixou a pele tão macia. Pesquisei e descobri que isso se deve ao facto de o papel do saco absorver os óleos, tudo natural atenção!, que o produto tem não restando muito mais para "derreter" na água do banho.
Da última vez que comprei decidi, então, reservá-los em sacos de plástico com fecho para não perderem nem os óleos nem o cheiro que os caracteriza. Sempre que uso um novo corto-o em quantos pedaços eu achar que dá e for proveitoso e volto a guardá-lo no saco plástico. Para saber quais são colei as etiquetas que põem na loja no saco em que os pus. 
Agora não me preocupo se os produtos perdem as suas características essenciais e nem preciso de tomar banhos constantemente para que se gastem rapidamente, até porque é uma coisa que faço talvez uma vez por mês.

Ora, vejam lá:

O produto escolhido - creamy candy bath 100.