domingo, 18 de fevereiro de 2018

Wonder


Olá!
Bem, já queria ter começado com os posts de review dos filmes nomeados há mais tempo, mas demorei um bocado para começar a ver os filmes, então só agora começo. Preparem-se para uma série de posts do género. Já sabem que os que vejo no cinema têm um post individual e os que vejo em casa aparecem em conjunto com mais 4 ou 5 filmes.
O filme de hoje já o vi em Dezembro, enquanto estive em Londres, por isso já o vi antes de saírem os nomeados aos Oscars de 2018. Na altura não falei dele, porque tinha a minha série de posts de Natal e não quis interromper e depois deixei andar. Mas pronto, o que interessa é que vou falar dele hoje: Wonder.
Tem uma única nomeação para a categoria de Maquilhagem e Cabelos.

imagem de imdb.com
Baseado no livro de R. J. Palacio, Wonder conta a história de August Pullman (Jacob Tremblay), um menino que nasceu com uma doença chamada o Síndrome de Treacher Collins, que consiste na deformação de tecidos faciais e no atraso do crescimento de ossos. É uma doença real, que não pode ser curada e que é rara, sendo que acontece em cada 1 de 50 mil nascimentos. No filme é-nos dito que Auggie tem esta doença devido à combinação de dois genes, um proveniente do pai e outro da mãe, e que, por isso, também a sua irmã Via (Izabela Vidovic) poderia ter o mesmo problema. Esta doença faz, então, com que o menino tenha a cara desfigurada.
Até ao início do filme, Auggie foi sempre mantido o máximo possível em casa, para sua segurança, o que inclui ter tido a sua mãe (Julia Roberts) como professora. Com a chegada do 5º ano, a mãe, com o apoio do pai (Owen Wilson), decide que está na altura do filho frequentar uma escola pública, tal como todas as outras crianças fazem. É claro que, sendo ele um menino dito diferente, vai sofrer alguns abusos verbais por parte das outras crianças. O importante é ver como ele lida com isso e como aprende a aceitar-se tal como é e ajudar os outros a fazer o mesmo.

O filme segue fielmente o livro, o que é algo que me agrada bastante, pois este é um dos meus livros favoritos.
Sei, através de algumas reviews que já li, que a divisão da narrativa por ponto de vista das personagens pode parecer estranhar, mas é, sem dúvida, uma forma de termos uma história muito mais completa.
A passagem de cenas foi muito bem conseguida com elementos naturais aliados a uma música apropriada a cada momentos. Os cenários são, também incríveis. Se são fans de Star Wars vão delirar com o quarto do Auggie.
As personagens estão extremamente bem interpretadas e não alteraria nenhum dos actores. Cada um deles consegue trazer um elemento emocional diferente e fazem com que sintamos compaixão.
Há também que referir o papel brilhante de Jacob Tremblay. É impressionante como um miúdo de 11 anos consegue fazer interpretações deste calibre, ainda por cima com papéis principais e que envolvem tanta caracterização.


Já viram este filme? O que acharam? Gostaram da narrativa por pontos de vista?
E leram o livro? Se sim, quero saber se acham que foi bem adaptado ou não.


Lena ♥




© Helena Pereira, Wonder, 2018 All Rights Reserved.

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

Rapunzel's Best Day Ever | Lego


Olá!
Pelo Natal, o meu pai ofereceu-me 3 set da Lego, dois deles das Princesas de Disney e um dos Beatles.
Como já fiz aqui há uns tempos, resolvi partilhar convosco o resultado final e a minha opinião sobre a construção, se vale a pena ou não e coisas do género.
Vou começar com o set da Rapunzel que, como podem ver pelo título, chama-se Rapunzel's Best Day Ever.


sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

Pelo Parque das Nações


Olá!
No dia 6 de Janeiro, eu e o meu irmão fomos ao concerto dos alt-J, uma das nossas bandas favoritas, no Pavilhão Atlântico. Os meus pais decidiram que queriam connosco para Lisboa para podermos dar um passeio. Ficámos alojados na zona do Parque das Nações, por isso estava tudo ali perto.
Começámos por andar de teleférico, que era uma coisa que não fazíamos há vários anos. É sempre bonito ver o Rio Tejo e os vários edifícios, todos eles com as suas alturas e tipos arquitectónicos diferentes, lá de cima. E também uma forma diferente de atravessar o Parque das Nações.


terça-feira, 23 de janeiro de 2018

December Recap | 2017


Olá!
Já vamos quase no fim de Janeiro e só agora vos trago o recap do mês de Dezembro.
Este primeiro mês de 2018 tem sido bastante preenchido, e ainda bem, e por isso o tempo tem sido escasso, mas finalmente vamos acabar 2017.
Como Dezembro é o mês do Natal acabo por não comprar assim tanta coisa para mim, mas fui a Londres (viagem da qual vos falei aqui, aqui e aqui) e por isso comprei algumas lembranças.

Nominees | Oscars 2018


Olá!
Se já seguem o blog há algum tempo sabem que gosto sempre desta época de entregas de prémios e em especial dos Oscars. Não tendo a preocupar-me muito com entregas como os Golden Globes ou os SAG Awards, pois esses englobam séries televisivas e, sinceramente, é muito mais fácil ver um filme nomeado do que uma série inteira.
Todos os anos tento ver o máximo de nomeados para os Oscars e partilho sempre por aqui as minhas opiniões. Este ano, obviamente, não vai ser excepção. Já vi alguns dos filmes, sobre os quais também já falei por aqui, mas muitos são os que ainda não vi.
Por isso, até 4 de Março, o dia dos Oscars, vou falar muito sobre filmes e partilhar todas as minhas opiniões com vocês.
Deixo-vos aqui a lista dos nomeados das categorias que mais interessam e que acabam por ser as principais. Podem consultar todos os nomeados aqui.


sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Call Me By Your Name


Olá!
Esta semana estreou o filme Call Me By Your Name e eu tive a sorte de ganhar bilhetes para a antestreia aqui no Porto.
Claro que tinha de vos vir contar a minha opinião deste que é um filme que tem arrecadado algumas nomeações em várias entregas de prémios e que, de certeza, vai ter mais algumas nos Oscars.

domingo, 14 de janeiro de 2018

Cats and Christmas Trees | Festivities 2017


Olá!
Para o último post de Natal decidi pedir ajuda aos meus gatos. Ainda não partilhei por aqui muitas fotografias deles e como gatos e árvores de Natal costuma ser uma combinação engraçada (ou muito desastrosa), achei que era giro tirar-lhes algumas fotografias.
Estas fotografias são do início desta semana e por isso eles já tinham visto e mordido a árvore algumas vezes. Isso foi também motivo para não estarem tão interessados nela, pois já não era uma coisa nova, então demorei mais de uma hora para ter bastantes fotografias para escolha.
Bem, o Dalí, o Van Gogh e o Matisse são uns brincalhões e adoram cheirar e morder tudo.